Inteligência emocional: mitos e fatos

 In Notícias Selecionadas, Sem categoria

Inteligência Emocional é muito mais do que ser “empático” ou “legal”

Inteligência Emocional é o mesmo que ser “legal” ou “educado”? Quando alguém tem muita Inteligência Emocional, pode-se dizer que essa pessoa tem muita empatia? Inteligência Emocional só serve para mulheres e homens que querem “ter contato com seu lado sensível”?

Após mais de duas décadas escrevendo e dando palestras sobre a ciência por trás da Inteligência Emocional e sua importância para os ambientes de trabalho, ainda cruzo com pessoas que acreditam em um ou mais desses mitos sobre IE. O autor de um artigo recente publicado na Scientific American caiu na armadilha de “IE refere-se apenas a empatia”. Outro artigo, publicado na Harvard Business Review, igualou Inteligência Emocional a ser “legal”. A assunção de que Inteligência Emocional está relacionada ao “interior feminino” de um homem foi levantada em uma das minhas postagens sobre competências de Inteligência Emocional.

Cada um desses comentários exemplifica estereótipos enganosos sobre Inteligência Emocional. E eles igualam uma pequena fatia dessas habilidades com o todo. Mas Inteligência Emocional é muito mais do que ser “empático” ou “legal”.

Se alguém perguntar uma definição de Inteligência Emocional, o que você incluiria em sua definição?

Eis o que eu quero dizer quando me refiro a Inteligência Emocional: é a capacidade de reconhecer seus próprios e alheios sentimentos, de gerenciar suas emoções e de interagir efetivamente com os outros.

Obviamente, essas são qualidades humanas independentes de gênero ou quaisquer diferenças superficiais entre as pessoas, e refere-se a um equilíbrio saudável de uma vasta gama de competências.

O modelo de Inteligência Emocional que meus colegas e eu utilizamos inclui os quatro domínios demonstrados abaixo. Esses domínios se subdividem em 12 competências, capacidades que podem ser aprendidas e ensinadas e contribuem para uma melhor performance no trabalho e na vida.

Sim, você pode ver que autoconsciência e empatia estão na lista de competências. Você também irá notar outras competências, como pensamento positivo, gestão de conflitos, adaptabilidade e mais. Cada uma delas foca em uma maneira específica como os indivíduos podem se conscientizar e gerenciar suas emoções e suas interações com os outros.

Quando eu digo “contribua com a performance”, sou enfático. Meu colega Dr. Richard Boyatzis, da Case Western Reserve University, e eu desenvolvemos essa lista após analisarmos as competências que as próprias companhias indicaram como distintivas entre os líderes com performance superior e os medíocres. Décadas de pesquisa do Dr. Boyatzis, Korn Ferry Hay Group e outros, mostram que altos níveis de habilidades de EI podem ser traduzidos em melhor performance. Veja abaixo alguns dados relacionados às diferentes competências.

· Autoconsciência emocional. Uma pesquisa do Korn Ferry Hay Group descobriu que, entre líderes com múltiplas forças em autoconsciência emocional, 92% deles tinham equipes com altos níveis de energia e performance.

· Autocontrole emocional. Pesquisadores australianos descobriram que líderes que gerenciam suas próprias emoções têm resultados melhores nos negócios.

· Adaptabilidade. Em um estudo junto a executivos de vendas de serviços financeiros, conduzido pelo Dr. Boyatzis e outros, quanto mais adaptável, maior a eficiência demonstrada pelas receitas e aumento nas vendas. Outros pesquisadores apontam que a adaptabilidade de um líder prediz uma melhor performance da equipe.

· Empatia. Uma pesquisa do Centro para Liderança Criativa descobriu que a empatia prediz uma melhor performance de trabalho para gerentes e líderes.

· Perspectiva positiva. Um pesquisador da Universidade da Carolina do Norte resume da seguinte maneira: pessoas que experimentam e expressam emoções positivas são, com frequência, mais resilientes, mais engenhosas, mais conectadas socialmente e com maior tendência a funcionar em nível otimizado.

Mais complexo — e poderoso — do que “legal”

Inteligência Emocional é a chave para líderes de todos os níveis das organizações, independente da indústria. Antes que você diminua o valor da Inteligência Emocional no mundo do trabalho, note se você está considerando toda a sua amplitude. E leia as pesquisas. Décadas de estudos empíricos demonstram que Inteligência Emocional é algo mais complexo — e poderoso — do que simplesmente “ser legal”.

 

Autor: Daniel Goleman
Fonte: Administradores
Link: http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/inteligencia-emocional-mitos-e-fatos/103846/

Start typing and press Enter to search